terça-feira, 24 de janeiro de 2012

EXPERIÊNCIA COM ENXAME NATURAL ( parte 6 ) 24 Janeiro 2012


muita criação ,cerca de 6 favos iguais a estes cada colmeia

abelhas muuuuitas abelhas

bastantes reservas de mel e pólen nos ninhos , tudo boas indicações para uma boa colheita de
mel ,mas.... o resultado

o resultado foi este ,catastrófico ,nem cera puxada nem uma gota de néctar nas meias alças.
Acabei por substituir todas as ceras dos quadros , pois tudo indica que a cera não era cera
talvez fosse banha de cobra ,ou de porco , provavelmente será cera muito boa para arder no
santuário de Fátima ,mas para a apicultura não serve , e agora onde vou reclamar ? ao tóta ?
já está paga e a culpa nunca é de ninguem é sempre do outro , fico-me por aqui pois tudo o que possa dizer é chover no molhado.
Agora deixo um pedido a quem esteja mais familiarizado com maneio de colmeias em permapicultura para me dar umas dicas ,fico aguardar .

10 comentários:

Rui disse...

Olá!
Será que usando quadros apenas com uma tira de cera (tal como usou nos quadros do ninho) os resultados são melhores? Mal não deve fazer e sempre poupava em cera de origem duvidosa. :)

Já agora, o que me pode dizer dos seus resultados com a permiapicultura? Conseguiu produções 4x superiores ao normal como afirma Perone?

miguel disse...

Olá Adelino tambem eu tenho á 1 ano duas colmeias peronizadas e este fim de semana fui matar a curiosidade, e apesar de estarem muito fortes mel nes meias alças nem 1 pingo apesar de terem favos puxados. Penso que a causa é o facto de faltarem em cada colmeia 2 favos que estão a meia construção e enquanto não estiver os ninhos completamente cheios não passam para as meias alças. E a sua colmeia, o ninho está completamente cheio de favo?
Miguel- Torres Novas

Luís Moreira disse...

Olá,
Não tenho experiencia em permapicultura apesar de andar tentado a fazer a experiencia em 1 ou 2 enxames. A ver vamos.

A respeito da cera não estar a ser puxada, as minhas no ano passado também não puxaram a cera das alças. Por algum motivo que desconheço, não subiram. Este ano, en Novembro, voltei a colocar as mesmas alças e as mesmas ceras. O que é certo é que já estão puxadas e já têm mel, umas mais que outras mas têm.
Uma coisa tenho em mente, enquanto os ninhos não estiverem completos, presumo que as abelhas não subam às alças para aí iniciarem os trabalhos delas.
Como se está tratar de enxames, em principio fortes / muito fortes, com muita abelhas, elas têm que se alimentar, ainda para mais nestes dias fresquinhos que têm estado. Nas fotos pode ver-se boa quantidade de reservas de mel e pólen, o que pode significar que a quantidade de nectar a entrar no ninho vai todo para auto-consumo.
Se elas estivessem a entrar com mel a mais e a criar reservas no ninho, aí sim era de ponderar trocar já de ceras, no entanto pode fazer a experiencia com um ou 2 quadros.
Aconselhava a aguardar mais um tempo para tirar conclusões.

Abraço,
Luis Moreira

Anónimo disse...

As minhas saudações apícolas !
Esses favos têm uma altura muito apreciável. Correspondem a um ninho Lusitana mais uma caixa Reversível ? É um volume muito grande. É preciso um bom enxame e uma muito boa zona para o encher e ainda ocupar duas ou três meias alças. Esses têm muito bom aspecto.
Parabéns amigo Adelino.
Por alguma razão a colmeia Prática usada há uns quarenta anos em algumas zonas do país está posta de parte e a Jumbo, que há uns trinta anos tentou implantar-se, nunca conseguiu. E nessa altura não havia varroa.
A quantidade de cêra que elas têm de produzir é muito grande e a acreditarmos no que se diz que são cerca de seis a sete quilos de mel para um quilo de cêra (diz-se, mas o que é verdade é que não existe, nem nunca existiu, nenhum estudo padronizado que o demonstre, nem sequer que o indicie - provavelmente é mais um mito apícola), vai ser necessário muito mel para o fazer.
O método do Sr. Perone poderá parecer aliciante mas, como já alguém disse, entre o nosso país e o dele vai um oceano de distância. Eu acrescentaria climas diferentes, abelhas diferentes, floras diferentes e outras diferenças que nem sonhamos.
Um abraço,
Abelhasah.

adelino ramos disse...

meus amigos só agora tive paciência para voltar e comentar .
Acho estou em crer que o comentário do amigo Abelhasah é que se aproxima mais da realidade e brevemente vou experimentar o mesmo método mas só uma caixa de reversivel ou uma Lusitana como ninho e depois voltarei ao tema

Anónimo disse...

Caros colegas,
Sugiro que analisem o livro "Uma nova apicultura" no nosso ilustre Costa Moreira Vale, onde encontram, no meu entender, um método melhor do que o do Perone, estudado, desenvolvido e testado em Portugal nos anos 80, tendo sido premiado em França com uma medalha de ouro. Verão que a colmeia Moreira Vale é muitissimo mais pequena que a de Perone, e aind há quem a use... Mas à boa maneira portuguesa os santos da porta não fazem milagres, e lá vamos nós atrás de um método importado de um conrinente totalmente diferente quando temos um outro desenvolvido por um desacreditado conterrâneo

Miguel disse...

"Sugiro que analisem o livro "Uma nova apicultura" no nosso ilustre Costa Moreira Vale "

Bem tentei mas... livro esgotado...na net também não encontro, se algum dos colegas me poder ajudar..
josecarqueijeiro@sapo.pt
Desde já o meu obrigado.
O blog é bastante interessante e o Sr. Adelino é uma pessoa bastante afável.

PM disse...

"Bem tentei mas... livro esgotado...na net também não encontro, se algum dos colegas me poder ajudar.."

Pode encomendá-lo pela net em:

http://www.wook.pt/ficha/uma-nova-apicultura/a/id/2159917

Neste II Volume é onde o autor revela a sua nova colmeia.

Anónimo disse...

Boa tarde Adelino,
Qual a método/solução que utilizou para "soldar" a tira de cera aos quadros do ninho?

Rogerio Carvalho dos Santos disse...

Boas a todos
A conclusão ou prova que se vê sobre o que o sr Perone obtem dos seus experimentos, e que me parece por demais óbvia, é que só funciona em climas ou microclimas onde o fluxo de néctar nunca, ou quase nunca pára ao longo de todo o ano, em Portugal não temos essa sorte, essa é a razão pela qual as abelhas não sobem ás alças, pois quando o ninho está completo e o passo seguinte seria que armazenassem nas alças, o fluxo de néctar diminui ou pára, e como não encontram nada para lá colocar, é isso que o apicultor colhe, nada.